Saúde

Instituto de Computação da Ufal doa protetores faciais para profissionais da saúde de Arapiraca

A Unidade Básica de Saúde Dr. José de Lima, no bairro Bom Sucesso, recebeu 130 protetores

Por Taísa Bibi 09/07/2020 14h02
 Instituto de Computação da Ufal doa protetores faciais para profissionais da saúde de Arapiraca
Dra. Camila Brito recebeu os protetores faciais do IC da Ufal - Foto: Cortesia

A ciência de todo o mundo está agindo no combate ao Covid-19, e em pesquisas para o desenvolvimento de remédios e uma vacina para o vírus. Pesquisadores tem trabalhado incansavelmente para ajudar à população, um exemplo é o Instituto de Computação da Universidade Federal de Alagoas, em Maceió, com a produção de protetores faciais. O laboratório também está desenvolvimento um respirador de baixo custo.

Diariamente o laboratório de computação produz 50 protetores faciais, para serem doados aos profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate ao vírus. Essa semana a Unidade Básica de Saúde Dr. José de Lima, no bairro Bom Sucesso, em Arapiraca, Região Metropolitana do Agreste de Alagoas, recebeu 130 protetores faciais a pedido da médica Camila Brito.

O coordenador do projeto, o prof. doutor Davi Bibiano, explica que os protetores são desenvolvidos pelos laboratórios do instituto, com recursos próprios. “Não tem empresa envolvida,  a iniciativa é do Instituto de Computação por meio dos laboratórios EASY e EDGE e do Ramo estudantil do IEEE”.

De acordo com a Dra. Camila Brito, que fez a solicitação ao instituto, na unidade são cerca de 60 profissionais, incluindo os agentes de saúde, e para ela a doação foi muito importante, pois deu mais segurança a equipe.

“Foi muito importante a gente receber a doação da equipe da Ufal, porque os protetores servem como uma barreira física de proteção e essa barreira contribui para que não aconteça o contato imediato do vírus, mais especificamente do Coronavírus, com o rosto de quem está atuando. Isso trás mais segurança para os profissionais exercerem as suas funções com mais qualidade”, explica a médica.

Para ter acesso aos protetores faciais, as instituições como lar de idosos, unidades de saúde e prefeituras, devem entrar em contato com o coordenador , Davi Bibiano, através do e-mail [email protected]