Inundação

[Vídeo] Ipanema sobe mais de 6 metros e ação antecipada impede tragédia

“Cheia foi pior que a esperada, mas conseguimos retirar moradores à tempo”, afirma Defesa Civil

POR: 7Segundos
Rio Ipanema sobre mais de 6 metros e invade casas, estabelecimentos e deixa pontes submersas
cortesia

O transbordamento do rio Ipanema, que chegou a alcançar 6 metros e 20 centímetros acima do nível normal, está trazendo uma série de transtornos para os moradores de Santana do Ipanema, que na manhã desta segunda-feira (30) está com três pontes interditadas. No município, que decretou situação de emergência na semana passada, as cheias só não se transformaram em tragédia devido a ação antecipada da coordenação municipal da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros.

Desde o último dia 25, os rio Ipanema e o riacho Camoxinga provocaram quatro enchentes no município de Santana do Ipanema, em algumas delas, residências de todo um bairro, o Arthur Moraes - que fica ao lado do Camoxinga - foram alagadas e algumas casas foram completamente destruídas com a força das águas. E na madrugada desta segunda, o nível do Ipanema chegou a alcançar o telhado de casas localizadas à beira do rio, mas mesmo assim não há registro de pessoas mortas ou desaparecidas. Segundo informações, o volume de água foi tão grande, que provocou ainda uma nova enchente no afluente conhecido como riacho Camoxinga, que subiu 3 metros além do nível normal, atingindo mais uma vez os bairros Arthur Moraes e Baraúna.

“Desde às 9h da noite [de domingo, 29], saímos avisando a toda a população que estava na área de risco para saírem de suas residências e se abrigarem em outro local. Por conta disso, até o momento não tivemos nenhuma vítima fatal. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil municipal estão trabalhando em conjunto para salvar as pessoas e minimizar os problemas, além de ajudar as famílias desabrigadas”, afirmou Paulo Américo, da Defesa Municipal.

De acordo com ele, a enchente que teve início na madrugada de segunda-feira foi pior do que esperavam. A coordenação da Defesa Civil havia sido alertada pelo rompimento de uma barragem no município de Águas Belas (PE), ocasionada pelo excesso de chuva na região, e esperava que o nível do rio não ultrapassasse a cheia anterior, ocorrida na última sexta (27). “A gente esperava que o rio subisse cerca de 4 metros e 60 centímetros, que é o suficiente para atingir as ruas que ficam na área de risco, mas o rio subiu quase dois metros além disso. Conseguimos evitar uma tragédia, mas o número de desabrigados deve aumentar muito. Felizmente o nível do Ipanema já está baixando”, relatou.

Após as cheias da semana passada, a Defesa Civil contabilizou 12 famílias desabrigadas, cujas residências precisam ser reconstruídas, e outras 151 famílias desalojadas. Todas estavam abrigadas no Centro Bíblico. Com a situação desta segunda, o número de pessoas desabrigadas e desalojadas deve aumentar muito. A prefeitura de Santana do Ipanema decretou situação de emergência na última quinta-feira (26) e o município recebeu a visita do governador Renan Filho, que prometeu ajudar os desabrigados com colchões, água potável, alimentação e cobertores.

Várias instituições se uniram e passaram a arrecadar donativos para as famílias desabrigadas no município. Veja como ajudar aqui.

Veja a as imagens aéreas de Santana após cheia do rio Ipanema:

 

Galeria de Fotos


7Segundos afluente Águas belas alagadas Arthur Moraes Baraúna barragem Camoxinga casas cheia Corpo de Bombeiros Defesa Civil enchente interditadas monumento Pontes residências rio ipanema Santana do Ipanema sem vitimas fatais transbordamento

Veja Também

Comentários