famílias desabrigadas

Mais de mil pessoas podem ficar desabrigadas em Santana, após transbordamento do rio Ipanema

Após duas cheias no riacho Camoxinga, provocadas por tromba d`água, transbordamento do rio Ipanema é aguardado para as próximas horas

POR: 7Segundos
Tromba d'água provocou cheia nunca vista no riacho Camoxinga, em Santana do Ipanema
Reprodução

Após duas inundações no riacho Camoxinga nos últimos dias, o nível do rio Ipanema começa a subir e a enxurrada pode invadir mais residências nas próximas horas. A prefeitura de Santana do Ipanema já registrou 116 famílias desabrigadas nos bairros Arthur Moraes e Baraúna e este número pode superar 300 famílias, ou mais de mil pessoas, após a cheia do Ipanema. Não há registro de pessoas mortas e nem de desaparecidas.

“Desde ontem (25), no início da tarde, estamos monitorando o nível do rio Ipanema, após termos recebido o alerta do rompimento de uma barragem em uma região próxima à nascente do rio. Cerca de 200 famílias que moram em área de risco de inundação foram avisadas e a preparação foi suficiente. Mas, durante a noite fomos pegos de surpresa com uma tromba d`água na Camoxinga, que provocou a inundação do riacho, que desagua no Ipanema”, explicou o chefe de gabinete da prefeitura de Santana do Ipanema, Cleudson Nobre.

A cheia do riacho Camoxinga, que na madrugada de domingo invadiu várias residências nas localidades próximas, mais uma vez causou pânico e fez famílias abandonarem suas residências na madrugada desta quinta. Segundo informações, no bairro Arthur Morais, o mais atingido pela enxurrada, a a água atingiu dois metros e meio de altura e deixou todas os imóveis do bairro debaixo da água. O Corpo de Bombeiros foram acionados para fazer mais de 40 salvamentos, de famílias que ficaram ilhadas e que precisaram de ajuda para sair de casa.

O saldo da cheia do riacho Camoxinga, nunca vista pelos moradores da região foi de 25 residências destruídas. Em oito delas, só sobrou o piso. As demais ficaram com a estrutura comprometida e as famílias não podem retornar, antes que sejam reconstruídas.

“O município, por meio da Secretaria de Assistência Social, começou a atender as famílias às 3h, e esse levantamento ainda não foi concluído. Até agora levantamos 116 famílias desabrigadas, seja porque tiveram suas casas destruídas ou porque perderam tudo o que tinham devido a inundação. Mas sabemos que este número é muito maior, provavelmente vai ultrapassar 300 famílias”, declarou Nobre. 

De acordo com ele, além do restante das vítimas da cheia do riacho Camoxinga que ainda estão sendo contabilizadas, soma-se às 200 famílias que moram nas áreas que estão da região de inundação do rio Ipanema, esperada para as próximas horas. Avisadas, muitas famílias já saíram e retiraram seus pertences dos imóveis.

Os desabrigados estão sendo levados para o campus da Uneal, para o Centro Bíblico e para a escola São Cristóvão. Muitos deles perderam tudo. “A prefeitura está sobrecarregada, todos estamos trabalhando para ajudar as pessoas desabrigadas e, felizmente, estamos contando com muitas pessoas e instituições que se engajaram voluntariamente para ajudar”, ressaltou.

Galeria de Fotos


7Segundos alagamento Área de risco assistência social casas Centro Bíblico cheia Corpo de Bombeiros Defesa Civil desabrigados destruição escola São Cristóvão inundação prefeitura riacho Camoxinga rio ipanema Santana do Ipanema Sertão transbordamento Uneal

Veja Também

Comentários