Denúncia

Procuradoria notifica Hospital Nossa Senhora de Fátima por negligência com profissionais

As denúncias apontam que os trabalhadores, incluindo os que estão dentro do grupo de risco, não estão recebendo

POR: Assessoria
As denúncias apontam que os trabalhadores, incluindo os que estão dentro do grupo de risco, não estão recebendo
Reprodução

Após denúncia de trabalhadores enviadas ao Sindicato, a Procuradoria do Trabalho de Arapiraca enviou recomendação a Casa de Saúde Nossa Senhora de Fátima, solicitando que sejam tomadas várias medidas de segurança com o objetivo de proteger profissionais de saúde e pacientes contra o coronavírus.

As denúncias apontam que os trabalhadores, incluindo os que estão dentro do grupo de risco, não estão recebendo Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), não tem havido reposição de álcool gel nos recipientes da unidade, entre outros problemas.

Na recomendação, o procurador Luiz Felipe dos Anjos ressaltou que o hospital precisa garantir aos profissionais de saúde, transporte, apoio, assistência e demais funções envolvidas no atendimento a potenciais casos de coronavírus – considerados pertencentes aos grupos de maior risco. Outros itens foram acrescentados no documento.

Entre os primeiros pontos, foi recomendada a disponibilização de equipamentos de proteção individual e coletiva indicados pelas autoridades de saúde locais, nacionais e internacionais de acordo com as orientações mais atualizadas.

Os profissionais presentes durante o transporte devem melhorar a ventilação do veículo para aumentar a troca de ar durante o transporte; limpar e desinfetar todas as superfícies internas do veículo após a realização do transporte; desinfecção com álcool a 70%, hipoclorito de sódio ou outro desinfetante indicado para este fim e seguindo procedimento operacional padrão definido.

Os profissionais envolvidos no atendimento e cuidados (especialmente profissionais de saúde): higiene das mãos com preparação alcoólica; óculos de proteção ou protetor facial; máscara cirúrgica; avental impermeável; luvas de procedimento; máscaras N95, FFP2, ou equivalente, quando da realização de procedimentos geradores de aerossóis como, por exemplo, intubação ou aspiração traqueal, ventilação não invasiva, ressuscitação cardiopulmonar, ventilação manual antes da intubação, coletas de amostras nasotraqueais e broncoscopias.

 

7Segundos Arapiraca negligencia nossa senhora de fatima notifica Profissionais

Comentários