Crime de 1995

Laércio Boiadeiro vai a júri popular por assassinato de Rui Néri

Julgamento foi marcado para acontecer em Maceió, no mês de maio

POR: 7Segundos
Laércio Boiadeiro é preso no Sertão de Pernambuco
Arquivo

Vinte e cinco anos depois o assassinato do advogado Rui Néri, em Batalha, José Laelson Rodrigues de Melo - mais conhecido como Laércio Boiadeiro - vai ser julgado pelo homicídio. Após Tribunal de Justiça negar recurso que alegava que o crime estava prescrito, decidiu que o júri popular vai acontecer no dia 13 de maio, em Maceió.

Rui Néri foi assassinado com três tiros dentro da residência onde morava, no centro de Batalha, no dia 28 de maio de 1995. Na época, as investigações policiais apontaram que o crime foi executado por Laércio Boiadeiro e outra pessoa.

Boiadeiro, que cumpriu sentença pelo assassinato de Zé Miguel e da esposa dele, crime que deu início na rixa entre as famílias Boiadeiro e Dantas, chegou a ser julgado e absolvido do assassinato do advogado em 2000, mas o júri popular, que aconteceu em Batalha, foi anulado após denúncia de que os jurados temiam sofrer retaliação caso decidissem pela condenação do Boiadeiro.

Após a anulação, um pedido de desaforamento - para que um novo júri popular fosse marcado para Maceió - passou anos na comarca de Batalha e, no ano passado o processo foi elencado como uma das prioridades da Justiça alagoanas por ser um dos mais antigos em tramitação no Estado. A partir de então, advogados do acusado entraram com recurso, alegando que, de acordo com o Código Penal Brasileiro, os crimes de homicídio prescrevem após um prazo de 20 anos.

O Ministério Público, no entanto, defendeu que, como houve a pronúncia do acusado em 2006, ainda restam seis anos para que Laércio Boiadeiro seja julgado.

7Segundos Código Penal julgamento de homicídio juri popular Laelson Boiadeiro Laércio Boiadeiro Prescrição Rui Néri

Veja Também

Comentários