Vamos ajudar?

[Vídeo] Mãe pede ajuda para custear lentes e devolver visão do filho

O pai do adolescente retirou um câncer no cérebro e está desempregado

POR: Taísa Bibi
Mãe Edjane e o filho Italo
Ewerton Silva (7 Segundos)

Um apelo de mãe. Edjane Alves da Silva, de 40 anos, residente no bairro Bomsucesso, na cidade de Arapiraca, está vivendo momentos de angústia e desespero. Seu filho do meio, Italo de 14 anos, foi diagnosticado com ceratocone, uma doença rara que atinge a córnea. Os óculos não resolvem mais a enfermidade, e o jovem necessita de lentes que custam R$ 4.600,00.

Italo está sem estudar desde o começo do ano, pois só enxerga vultos, e por conta do problema, o jovem está com indícios de depressão. A mãe está desemprega e seu marido, que trabalhava como autônomo, de mototáxi e cabeceiro, retirou um tumor maligno no cérebro há cerca de dois meses e está desempregado, e ainda não conseguiu auxílio doença.

O jovem faz tratamento no Hospital Universitário, em Maceió, e já foi solicitada um transplante de córnea, uma vez que os tratamentos não respondem e a doença está evoluindo rapidamente. Até a chegada do transplante, são necessárias lentes de contato especiais para que Italo volte a enxergar e também para que a doença não progrida.

Sem condições financeiras, a mãe fez um apelo para quem puder contribuir, com qualquer quantia:

Caixa Econômica:

Ag 4813

Op 013

Conta 00012905-7

Edjane Alves da Silva

Mais informações: 82 99648-8237

Veja o vídeo:

Ceratocone

O ceratocone é uma enfermidade que faz com que a córnea se projete para a frente, formando uma saliência em forma de cone, o que pode levar ao comprometimento da visão.

A córnea funciona como uma lente fixa sobre a íris, a área colorida dos olhos, e, através da pupila, projeta a luz sobre a retina. Alterações na transparência e curvatura da córnea podem comprometer a visão. O defeito do ceratocone impede a projeção de imagens nítidas na retina e pode promover o desenvolvimento de grau elevado de astigmatismo irregular e miopia.

Ceratocone é uma doença genética rara, de caráter hereditário e evolução lenta, que se manifesta mais entre 10 e 25 anos, mas pode progredir até a quarta década de vida ou estabilizar-se com o tempo.

Há casos de pessoas com história da doença na família que apresentam um quadro de ceratocone subclínico, sem sintomas. Quando eles aparecem, porém, variam de acordo com a fase da doença. O mais característico é a perda progressiva da visão, que se torna borrada e distorcida (tanto para longe quanto para perto) e obriga a aumentar com frequência o grau das lentes dos óculos até que a solução é substituí-los por lentes de contato, que podem ser de diferentes tipos.

A enfermidade atinge cerca de 150 mil pessoas por ano no Brasil e pode atingir os dois olhos de maneira assimétrica, ou seja, o distúrbio pode afetar mais um olho que o outro.

Galeria de Fotos


14 anos 7 segundos adolescente Agreste ajuda apelo Arapiraca depressão devolver visão Italo lentes filhos mãe pede ajuda pai com câncer sem condições fincanceiras sem dinheiro sem estudar sete segundos vamos ajudar

Veja Também

Comentários