Confirmado

Sangue encontrado em estrada e na viatura da guarda de Campo Alegre é de pedreiro desaparecido

José Renildo Cassimiro da Silva, de 26 anos, desapareceu no dia 04 de outubro

POR: Assessoria
José Renildo Cassimiro da Silva, de 26 anos, desapareceu no dia 04 de outubro
Redes sociais

O Laboratório de Genética Forense da Perícia Oficial do Estado de Alagoas divulgou na manhã de hoje (09), o resultado dos exames de DNA do caso do pedreiro desaparecido em Campo Alegre, após abordagem de guardas municipais. As manchas encontradas e recolhidas pelos peritos são de sangue e pertence a José Renildo Cassimiro da Silva, de 26 anos.

Responsável pelos exames, a perita criminal Marina Lacerda Mazanek explicou que o confronto genético para identificação humana foi realizado através de material biológico da mucosa oral fornecido pelos filhos da vítima desaparecida. Como não havia amostra de sangue de Renildo Cassimiro, o delegado solicitou que no exame fosse verificado se os vestígios biológicos encontrados pertenciam ao pai biológico das crianças.

Essas amostras dos filhos, um menino e uma menina, foram inicialmente confrontadas separadamente com o material encontrado e recolhido em uma estrada vicinal. Em seguida a perita precisou extrair o sangue do estofado retirado da porta do veículo Hillux de placa ORM–9675, da Guarda municipal de Campo Alegre/AL para realizar o mesmo exame.

“Os exames de confronto genético visavam constatar se o material biológico, extraído das manchas de sangue encontradas tanto na estrada como no estofado eram compatíveis com o pai biológico das duas crianças. Após anasilar os perfis genéticos ficou comprovado que o material coletado pertencia ao pai biológico dos meninos, com probabilidade de 99,9999999%”, a afirmou a perita.

O pedreiro José Renildo Cassimiro da Silva, de 26 anos, desapareceu no dia 04 de outubro, após ser colocado no interior da viatura por guardas municipais de Campo Alegre. Cinco dias depois, uma perícia realizada na zona rural do município conseguiu localizar e recolher em uma estrada vicinal material biológico e estilhaços de vidros compatíveis com o da porta traseira da viatura da guarda que foi quebrada.

A poucos metros desse mesmo local, também foi encontrado marcas de pneumáticos compatíveis com o pneu do veículo usado pelos guardas no dia do fato. Um novo exame realizado na viatura da guarda de Campo Alegre identificou manchas de sangue no interior do veículo que teria sido usado no desaparecimento do pedreiro.

Todos os laudos do Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística relacionados a esse caso foram encaminhados para o 75º Distrito Policial de Campo Alegre que investiga o desaparecimento de Renildo Cassimiro.

7Segundos Campo Alegre estrada guarda pedreiro Perícia sangue viatura

Veja Também

Comentários