Política

Vazão do reservatório de Xingó será aumentada para viabilizar deslocamento de embarcação

Canoa Luzitânia Canoa de Tolda/Divulgação Segundo a Canoa de Tolda

POR: Assessoria
Vazão do reservatório de Xingó será aumentada a partir desta segunda-feira para viabilizar deslocamento de embarcação
Assessoria

Após o término, a operação retornará para a defluência média aplicada em novembro. Usina Hidrelétrica de Xingó Chesf/Divulgação A vazão de água do reservatório de Xingó, que compreende trechos do Rio São Francisco nos estados de Alagoas e Sergipe, será elevada a partir desta segunda-feira (18). O aumento será em razão do deslocamento da embarcação 'Canoa de Tolda Luzitânia' para a execução de serviço de manutenção.

O início da manobra estava programado para o dia 11 de novembro, porém foi adiada em virtude da previsão de aumento da geração eólica Nordeste, o que dificultaria a compatibilização da geração hidráulica nas usinas do Complexo de Paulo Afonso e Xingó. Defluência a partir da elevação: Segunda-feira (18/11): 1.080 m³/s Terça-feira (19/11): 1.373 m³/s Quarta-feira (20/11): 1.777 m³/s Quinta-feira (21/11): 1.400 m³/s Após o término, a operação retornará para a defluência média aplicada em novembro.

Canoa Luzitânia Canoa de Tolda/Divulgação Segundo a Canoa de Tolda - Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco, responsável pela embarcação que é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), a situação da canoa Luzitânia é vulnerável, já que ela não pode ficar indefinidamente exposta ao sol, com risco de comprometimento de colagens de sua estrutura. As altas temperaturas, que já ocorrem em meio de primavera, provocam variações dimensionais que podem trincar as juntas e elementos colados o que significaria a possibilidade de que as colagens tenham que ser refeitas.

Francisco Operação São segundo

Veja Também

Comentários