Startups

O que é e como iniciar uma startup

Startups praticamente ajudam a definir o atual cenário mercadológico, em que as mídias online possibilitam novas formas de investimento

POR: 7 Segundos
Startups são geralmente empresas que ainda estão dando os seus primeiros passos para o crescimento
Reprodução / Internet

Na década de 90, com a popularização da internet, o termo “startup” já começava a aparecer nos Estados Unidos e Europa, mas cá para nós, abaixo da linha do equador, a palavra ainda soava como algo alienígena.

Agora, com a internet já onipresente em nosso dia a dia, startup deixou de ser mais um termo estrangeiro da área do Marketing e se tornou uma realidade para muitos empreendedores brasileiros.

Mas afinal, o que startup e internet tem a ver? “Muita coisa” pode ser uma boa resposta para essa pergunta. Startups praticamente ajudam a definir o atual cenário mercadológico, em que as mídias online possibilitam novas formas de investimento.

Startups são geralmente empresas que ainda estão dando os seus primeiros passos para o crescimento. Muitas vezes elas estão ligadas à criação e desenvolvimento de algum produto ou serviço de caráter tecnológico, como, por exemplo, alguns aplicativos.

Apenas para se ter uma ideia, o Google, o Facebook, a Microsoft e outras gigantes, um dia foram startups, iniciaram pequenas e hoje são peças importantes nas engrenagens da economia mundial.

Embora a internet seja um ambiente fértil para startups, é interessante destacar que, para ser uma startup, não é necessário que a empresa atue em um segmento voltado exclusivamente para esse meio.

Hoje em dia há um conceito mais moderno de startup, afirmando que tais investimentos podem ser um grupo de duas ou mais pessoas em busca de um modelo de negócio repetível e escalável.

Como iniciar uma startup

Uma das definições e características mais notáveis sobre o que é startup está no fato delas adotarem um negócio escalável e repetível. Mas, então, o que fazer para ser escalável e repetível?

Ser repetível, dentro do conceito de startup, implica em entregar o mesmo produto mais de uma vez e em alta escala, sem ter que efetuar adaptações para cada cliente.

Um exemplo disso pode ser a Netflix, que em seus primeiros anos de vida era uma startup com um objetivo: entrega produtos (filmes) para um grande número de consumidores por meio online.

Ser escalável também é uma característica de startup e significa poder reproduzir o negócio em larga escala, sem necessariamente gastar muito dinheiro com ele. Um exemplo claro disso é o Spotify, voltado para o segmento da música.

Entretanto, sabendo o que é um negócio escalável e repetível, já é possível iniciar uma startup? Sim, mas é bom também conhecer algumas dicas bem interessantes sobre o assunto. Veja mais abaixo.

Tenha um site

A presença digital é fundamental para que qualquer empresa sobreviva, inclusive uma recém-nascida startup.

Por isso, ao criar um site, é bom obter um bom serviço de hospedagem. A hospedagem é uma boa alternativa, pois permite um bom armazenamento em disco e ainda acompanha o crescimento do seu site.

Desse modo, o seu site vai crescer, exigir mais recursos e ainda assim você não vai necessitar ter que adotar um tipo de hospedagem mais robusto.

A hospedagem tem tudo a ver com o conceito e modelo de negócios das startup, pois seus recursos podem ser facilmente escaláveis e assim acompanhar o crescimento do negócio.

Tenha contatos

O negócio da startup tem tudo para ser impulsionado diante de uma ampla rede de contatos. Graças a um bom networking é possível que o empreendedor consiga divulgar a startup, a auxiliando para ser escalável.

Hoje em dia, eventos de empreendedorismo e tecnologias, bem como escritórios compartilhados de coworking e incubadoras, estão funcionando como bons redutos de negócios ao reunir em um mesmo local, ideias e pessoas das mais diferentes formações.

Não esqueça também da presença online para ampliar a sua rede de contatos da starup. Seja ativo no LinkedIn – a principal rede social desse segmento – e publique artigos e comentários relevantes.

Tenha um pensamento global

Na era da conexão e dos negócios escaláveis, é importante pensar que o negócio da sua startup não vai ficar limitado a fronteiras. Ou seja, estamos na era em que os negócios estão cada vez mais ao alcance de todo mundo.

No entanto, é óbvio que aquele tradicional ritual de segmentar o público e estabelecer uma persona permanece valendo para as startups também. Porém, o perfil das personas está cada vez mais global.

Busque financiamento

É importante que uma startup tenha incentivo e apoio. Por isso, é importante ampliar os seus contatos e encontrar investidores que também acreditam na sua ideia.

Hoje em dia existem alguns tipos de investimentos que abrem portas para várias startups, tais como o investimento anjo, o qual é feito na fase inicial por pessoas físicas. Nesse caso, o investidor tem a função de ser um guia, ou um mentor para o negócio.

Há também as aceleradoras, em que o investimento é feito de maneira rápida, tornando mais acessível o crescimento da startup.

Conclusão

Não que uma startup tenha que obrigatoriamente apresentar um serviço ou produto voltado para a internet, mas é óbvio que a web ajuda – e muito – o desenvolvimento desse tipo de empresa.

A realidade mostra que cada vez mais as soluções do dia a dia estão migrando para o mundo digital graças ao poder da tecnologia.

Portanto, se você teve uma ideia genial (e principalmente escalável), faça um bom planejamento e saiba que a sua startup tem tudo para crescer.

7 segundos como iniciar Microsoft Netflix segundos sete site spotfy startup

Veja Também

Comentários