Polêmica

Após reações e ‘lamento’ de Bolsonaro, Eduardo pede desculpas por sugerir AI-5

No Facebook, deputado recuou. No Twitter, tentou se justificar

POR: Poder 360
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro
Renato Costa / Framephoto / Estadão Conteúdo

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) pediu desculpas por sugerir a edição de 1 “novo AI-5” como resposta à eventual radicalização da esquerda nesta 5ª feira (31). O pedido foi feito em um vídeo publicado em seu Facebookpoucas horas depois de seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, tê-lo desautorizado e dito que “quem quer que fale em AI-5 está sonhando“.

Na publicação, Eduardo diz que respeita os valores democráticos e constitucionais. Ele também afirma que o Brasil vive 1 momento de democracia que não dá mais espaço para regimes autoritários. E enfatizou que foi justamente a democracia que o fez ser o deputado mais votado da história.

“Não existe a possibilidade de retorno do AI-5 e a minha posição é bem confortável e eu não fico nem 1 pouco constrangido de pedir desculpas para qualquer tipo de pessoa que tenha se sentido ofendida ou imaginado o retorno do AI-5. Não é o ponto que nós vivemos hoje no contexto atual do Brasil”, afirmou.

Ele também disse que, se pudesse mudar sua resposta, o faria: “Pode até ter sido uma resposta infeliz. Se eu pudesse refazê-la, faria sem citar o AI-5 para não dar essa polêmica toda”.

Momentos antes de publicar esse vídeo, o filho 03 do presidente Jair Bolsonaro postou outra gravação, em seu Twitter, na qual seguia por outra narrativa, reafirmando ataques à esquerda. O líder do PSL na Câmara dos Deputados tentou justificar sua declaração e culpou a esquerda por tentar criar uma narrativa que pretende derrubar Bolsonaro da Presidência.

No vídeo, ele citou atentados feitos por políticos petistas durante a ditadura e disse que a Rede Globo tenta emplacar narrativa para deixá-lo na defensiva.

ai-5 Eduardo Bolsonaro Facebook justificativa Polêmica Twitter

Veja Também

Comentários