AMAZÔNIA

Países tentam tirar a soberania do Brasil sobre a Amazônia, diz Bolsonaro

POR: Estadão Conteúdo
Noruega suspende repasse para proteção da Amazônia
ANSA / Ansa - Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou em discurso na manhã de hoje em Resende (RJ) que "países" tentam tirar do Brasil a soberania sobre a Amazônia. A declaração do presidente se deu no final da cerimônia de entrega de espadim aos cadetes da turma Bicentenário da Independência do Brasil.

A declaração é uma referência à recente decisão da Noruega e Alemanha de retirarem doações na região. Mais cedo, ele já havia se manifestado no Twitter, quando postou um vídeo do deputado falecido Enéas Carneiro comentando sobre os interesse internacional sobre a Amazônia.

"Nós temos um compromisso com esse pedaço de terra, mais rico e sagrado do mundo", afirmou a cadetes do Exército. "Países tentam ganhar a guerra da informação para a gente perder a soberania sobre essa área [...] Pouquíssimos, raros países têm o que temos: temos tudo para ser uma grande nação."

Bolsonaro tocou no assunto enquanto dizia aos jovens cadetes que "no último ano do meu mandato, se Deus quiser, estarei aqui com vocês".

"Daqui sairão para os quatro cantos do Brasil levando sangue novo a esse povo, em especial para quem for para a nossa rica e cobiçada Amazônia", afirmou.

Ao citar as personalidades presentes, como o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, e Flávio Bolsonaro (PSL), Bolsonaro deu atenção especial à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que espera ser reconduzida ao cargo pelo presidente.

"As decisões por quem passa pela situação que a senhora passa à frente dessa procuradoria ajudam a definir o futuro de nossa nação", disse.

Bolsonaro também fez rápida menção à Argentina, que em breve escolherá seu novo presidente. "Saiba proceder pelo seu povo para não retroceder", afirmou.

O presidente também relembrou que naquele mesmo espaço ele recebeu seu espadim. "Não existe honra maior do que, na condição de chefe supremo das Forças Armadas, eu presidir essa cerimônia", disse. "No futuro, vocês estarão em nossos lugares. A responsabilidade os acompanhará por toda a vida. Assim como vocês, em 1974, eu também recebi o meu espadim neste lugar sagrado."

Noruega e Alemanha

Na última quinta-feira (15), o ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Ola Elvestuen, anunciou o congelamento de novos repasses ao Fundo Amazônia, reserva de capital estrangeiro destinada a ações de preservação ambiental e combate ao desmatamento. O valor bloqueado é equivalente a R$ 134 milhões.

A decisão ocorre porque o Ministério do Meio Ambiente brasileiro decidiu reformular a gestão do fundo e extinguir o Cofa (Comitê Orientador do Fundo Amazônia), criado para estabelecer critérios para aplicação dos recursos na região.

Dias antes, a Alemanha também já havia congelado novas doações à Amazônia pelas mesmas razões. Questionado, Bolsonaro afirmou que a chanceler alemã, Angela Merkel, deveria pegar o dinheiro e reflorestar o seu país.

Eu queria até mandar um recado para a senhora querida Angela Merkel, que suspendeu US$ 80 milhões para a Amazônia. Pegue essa grana e refloreste a Alemanha, ok? Lá está precisando muito mais do que aqui.

 

Amazônia Brasil mundo presidente

Veja Também

Comentários