PREVIDÊNCIA

‘Quem manda na reforma da Previdência é o Maia’, diz líder do PSL na Câmara

Delegado Waldir criticou Olavo de Carvalho

POR: Poder 360
Delegado Waldir afirma que falta articulação na base e teceu críticas a Olavo de Carvalho Sérgio
Reprodução

O líder do PSL na Câmara dos Deputados, Delegado Waldir, concedeu uma entrevista ao Estado de S. Paulo publicada neste domingo (14.abr.2019) criticando a articulação política do governo para aprovara a Previdência no Congresso. Segundo o deputado, se a proposta for aprovada, o mérito será do presidente da Casa, Rodrigo Maia –e não do governo.

Waldir afirma que enquanto o presidente Jair Bolsonaro “resolveu construir com o Olavo [de Carvalho]“, escritor e ideólogo considerado como referência para o governo, enquanto Maia “escolheu construir com o parlamento”.

“A reforma da Previdência não avança se o presidente quiser. Quem manda na reforma da previdência é o Rodrigo Maia, presidente da Câmara. O Rodrigo Maia é o 1º ministro. Nós não temos o parlamentarismo, mas o 1º ministro, neste momento, é o Rodrigo Maia. […] O Rodrigo mostrou que é o 1º ministro quando em uma hora ele aprovou em 2 turnos a PEC do Orçamento. Qualquer coisa nessa Casa, só passa se o Rodrigo quiser”, disse.

O deputado ainda afirma que o governo não tem base e falta articulação política. Segundo ele, a partir do momento em que o presidente Bolsonaro criou as expressões “velha política” e “nova política”, ele criminalizou a conduta do Congresso.

“O presidente colocou todos os parlamentares no mesmo saco. Nós temos parlamentares que respondem a processos, mas temos parlamentares espetaculares. Ninguém vai votar no governo porque o Bolsonaro tem olhos azuis. Ele tem que fazer carinho na cabeça do parlamentar. […] O presidente escolheu ministros técnicos para o 1º escalão apostando nas bancadas temáticas, e as bancadas temáticas só votam assuntos do interesse delas. O parlamento está ligado aos líderes partidários, e aos partidos”,

De acordo com o líder, quem está no front da tentativa de articulação é o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Mas ele estaria enfrentando dificuldades de fazer o convencimento.

“Para convencer os parlamentares, o presidente tem de chamar os parlamentares para governar. Ele tem experiência no parlamento, quer implantar 1 novo modelo de governabilidade, mas ele não pode criminalizar o parlamento“, disse.

No entanto, afirmou que Bolsonaro confia na pressão popular para que o governo tenha uma base.

“É uma ferramenta importante, mas que não vai convencer a maior parte do parlamento. O parlamento é muito corporativista. O governo já teve algumas derrotas.”

DISPAROS DIRETOS AO GURU DO GOVERNO

De acordo com Delegado Waldir, o grande atrito que existe no governo e as “caneladas do presidente” são influência do escritor Olavo de Carvalho. Afirma que o Brasil “não precisa mais de sociólogos e filósofos” mas precisa de “pessoas que tenham operacionalidade e tirem o Brasil da miséria“.

“Zero à direita, zero à esquerda. Uma pessoa que fica dando palpite em nosso país lá de fora. Quantos votos ele trouxe? Que campanha que ele fez? Escreveu não sei quantos livros, dizem. Parabéns! Mas e daí? […] Tem que afastar a influência dele do governo. Quem tem que ter influência é o presidente. Ele não pode ser o palpiteiro de plantão.”

Na viagem que fez aos EUA, Bolsonaro participou de 1 jantar com Olavo de Carvalho. O escritor sentou-se à direita do presidente.

Bolsonaro Brasil Política Previdência psl Social

Veja Também

Comentários