Trauma raquimedular

Pacientes com lesão na coluna sofrem com espera por cirurgia em Arapiraca

Prefeitura afirma que fornecedor cancelou entrega do material necessário para as operações

POR: Patrícia Bastos
Após quase três meses, José Ronaldo foi submetido à cirurgia
Reprodução

A campanha iniciada nas redes sociais por parentes de José Ronaldo Lino da Silva, 30, que há dois meses espera por cirurgia de tratamento para traumatismo raquimedular (TRM), chamou a atenção para outros casos em Arapiraca. Atualmente há cinco pacientes com o mesmo tipo de lesão na coluna, internados no Hospital Chama, aguardando pela cirurgia que pode melhorar a qualidade de vida.

O caso de José Ronaldo chegou ao conhecimento do público após campanha iniciada por parentes, nas redes sociais, com o objetivo de sensibilizar as autoridades para a situação dele. O paciente, que tem residência em São Paulo, veio para Arapiraca visitar a família e no dia 06 de janeiro deste ano, sofreu um acidente automobilístico. O carro em que ele estava se chocou contra uma árvore, e teve a coluna vertebral fraturada e uma vértebra do pescoço quebrada, condição classificada também como traumatismo raquimedular.

Após a estabilização, o paciente foi transferido para o Hospital Chama, para ser submetido à cirurgia para ter chances de voltar a andar. Desde o acidente, ele é mantido deitado no leito do hospital, sem levantar sequer para comer e sem conseguir mexer os membros inferiores. Segundo o irmão da vítima, Cícero Romão, a unidade hospitalar informou que não pode executar a cirurgia devido a ausência de um material específico para TRM, que deveria ser fornecido pelo município e que custa em torno de R$ 20 mil.

"Além da campanha, nós entramos na justiça para que meu irmão passe pela cirurgia. Depois, com muito exercício, ele poderá até voltar a andar de novo", afirmou Cícero Romão. De acordo com ele, a família está contando com o apoio de um deputado estadual.

Além dele, outros quatro pacientes internados no Chama estão na mesma situação. Um deles está desde o ano passado sem poder se mover para não piorar as lesões. Segundo informações, a realização da cirurgia no Hospital Chama está assegurada, desde que o material para TRM seja disponibilizado. Por meio de nota, a prefeitura de Arapiraca afirma que o fornecedor cancelou a entrega do material devido a defasagem do custo, já que o município utiliza a tabela do SUS.

Veja a nota, na íntegra, abaixo:

Nota Prefeitura de Arapiraca

A Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria de Saúde, informa que, em fevereiro deste ano, recebeu  a informação do Hospital Chama,  um dos prestadores do Município, que  o material utilizado para cirurgia de Traumatismo Raque Medular (TRM) teria a entrega cancelada pelo fornecedor, que justificou a medida em decorrência da defasagem do valor estabelecido na tabela SUS. E, dessa forma, não seria possível a realização de procedimento cirúrgico.

Desde então, a Secretaria de Saúde tem reunido as partes para resolver o problema. E adianta que há cinco pacientes que aguardam o agendamento da respectiva  cirurgia. 

Após a última reunião com a administração do Hospital Chama, ficou definido o prazo de até esta sexta-feira (15)  para  se posicionar. Entre as opções para a resolução do problema está a compra do material pelo hospital, com repasse do município, dentro do valor estabelecido na tabela SUS.

acidente automobilístico acidente de carro Arapiraca campanha HEA hospital chama hospital de emergência do agreste prefeitura de Arapiraca redes sociais Secretaria Municipal de Saúde traumatismo raquimedular TRM

Veja Também

Comentários