Política

“BPC de R$ 400 é uma vergonha”, afirma Marx Beltrão sobre a Reforma da Previdência

O BPC é uma garantia de um salário mínimo mensal pago à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção

POR: 7Segundos com Assessoria
Marx Beltrão assume coordenação da bancada federal de Alagoas
Assessoria

O texto da Reforma da Previdência começou nesta quarta-feira (20) a ser analisado pelos parlamentares federais alagoanos, e já foi alvo de críticas pelo coordenador da bancada de Brasília no Congresso Nacional, o deputado federal Marx Beltrão (PSD), que classificou como vergonhosa a mudança proposta pelo governo no pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O BPC é uma garantia de um salário mínimo mensal pago à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção, nem de tê-la provida por sua família. Para ter direito, é necessário que a renda por pessoa do grupo familiar seja menor que 1/4 do salário-mínimo vigente.

No contexto da Reforma da Previdência, o ajuste no valor do Benefício de Prestação Continuada para quem tem entre 60 e 69 anos será feito por meio de lei ordinária. Pela proposta, a partir dos 60 anos, os idosos receberão R$ 400 de BPC. Ou seja, uma redução de mais de 50%. A partir de 70 anos, o valor subiria para um salário mínimo.

“Propor um BPC de R$ 400 é uma vergonha e o Congresso não pode aceitar isso. São milhares de idosos que recebem o benefício, em sua grande maioria gente que trabalhou a vida inteira, muitos na economia informal, e dependem do BPC para garantir uma renda mínina quando se tornam idosos. Vou trabalhar para que este item da Reforma não seja aprovado” reagiu Marx Beltrão.

BPC Congresso Nacional governo Bolsonaro Marx Beltrão reforma da previdência

Veja Também

Comentários