Será?

Chesf diz que comporta de Xingó abriu de forma espontânea

Informação foi divulgada pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio SF

POR: 7Segundos, CHBSF
Elevação do Rio São Francisco deixa ribeirinhos no prejuízo em Piranhas
Cortesia

A surpreendente elevação do nível do Rio São Francisco registrada no último final de semana foi causada por abertura espontânea de uma das comportas da Usina Hidrelétrica de Xingó.

Tão inesperada quanto a inundação que atingiu áreas próximas das margens do Velho Chico, principalmente em Piranhas-AL, foi a justificativa apresentada para o aumento da vazão pela Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), conforme informa o Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco (CBHSF).

Segundo notícia divulgada pelo órgão colegiado presidido pelo jornalista e ambientalista alagoano Anivaldo Mirando, o diretor de Operações da Chesf, João Henrique de Araújo Franklin Neto, declarou que a comporta que estava semiaberta, mas rompeu voluntariamente, sem ação humana.

“Tão logo detectamos o problema, providenciamos o fechamento de outra turbina”, informou João Henrique nessa segunda-feira (8), durante videoconferência promovida pela Agência Nacional de Águas (ANA), conforme publicado pelo CBHSF.

“Não houve tempo hábil para informar a população sobre essa operação solicitada pelo ONS”, disse o representante da Chesf sobre a ação decorrente de ordem do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) emitida na sexta-feira (05) para suprir a deficiência na geração de energia através do processo eólico.

Além da suposta impossibilidade de tempo para avisar à população ribeirinha sobre o aumento de vazão, especialmente das cidades mais próximas de Xingó, a Chesf omitiu o volume liberado na videoconferência e também na nota publicada no site da estatal sobre o assunto.

Por fim, o CBHSF acrescenta que a prefeitura de Penedo solicitou a elevação do nível do São Francisco do patamar atual, de 550m³/s para 1.700m³/s por 24 horas, no próximo dia 12. A justificativa é a realização da procissão fluvial de Bom Jesus dos Navegantes, a maior celebração religiosa do Baixo São Francisco.

O presidente do CBHSF questionou se não haveria um meio termo entre a vazão atual e a solicitada, que satisfaça a organização do evento. “O Comitê reconhece que a questão religiosa é importante, assim como todas as outras relacionadas aos usos múltiplos, mas essas questões de conflito pelo uso da água devem ser bem discutidas, a fim de chegarmos ao consenso”, considerou Miranda.

Em virtude das discussões, ficou agendada uma nova reunião entre a ANA e os demais entes envolvidos na questão para amanhã (quarta-feira, 10), a partir das 10 horas, horário de Brasília, para definir qual o procedimento a ser adotado.

Chuvas

A reunião promovida pela ANA, em Brasília (DF), e transmitida por videoconferência, também contou com a apresentação do balanço hidrológico da bacia do São Francisco para os próximos sete dias. De acordo com o coordenador-geral de Operações e Modelagem do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden), Marcelo Seluchi, a próxima semana será de chuvas abaixo da média na bacia do São Francisco.

De acordo com o estudo apresentado por Seluchi, a previsão é de uma precipitação média de 27 milímetros. Na região da cabeceira do São Francisco, em Minas Gerais, a previsão é de uma vazão afluente de aproximadamente 500 m³, o que representa uma média de 66% abaixo da média.

Nova reunião para analisar as condições hidrológicas da bacia está marcada para a próxima segunda-feira, dia 15, também com transmissão para os estados da bacia. Órgãos públicos, entidades ligadas aos temas do Velho Chico e usuários participam semanalmente da reunião promovida pela Agência Nacional de Águas e transmitida virtualmente.

CHESF comporta hidrelétrica rio São francisco Xingó

Veja Também

Comentários