Artista arapiraquense participa da construção do maior mosaico voluntário do mundo

Obra realizada na Igreja do Divino Espírito Santo, em Arezzo

italia2

Já imaginou chegar a um local espiritual que conta o enredo da história mais conhecida do mundo em suas paredes e até no chão?

Foi com isso que a artista arapiraquense Elaine Rocha, de 50 anos, se deparou ao entrar na Igreja do Divino Espírito Santo, na cidade de Indicatore, em Arezzo na Itália, no fim de setembro deste ano.

Ela acabou de retornar desta experiência com um quê a mais: ela não apenas visitou, mas participou da confecção deste grande mural.

A mosaicista e diretora da Escola de Artes de Arapiraca passou 20 dias na Itália, sendo 5 deles trabalhando intensamente na construção do maior mosaico do mundo.

Havia 13 pessoas do Brasil nesta empreitada: 10 de São Paulo, duas de Curitiba e uma de Arapiraca.

“E isso se iniciou há 30 anos. Artistas do mundo todo tem ido para a Itália a fim de contribuir na execução do que vem a ser o maior mosaico voluntário do mundo, que tem o piso, o pátio, o exterior e o interior do local todo preenchido por este material. E o projeto da artista plástica italiana Andreina Giorgia Carpenito e do padre Santi Chiocciolli vai além dos mosaicos: eles almejam agregar à arte diversas demandas de inclusão social e educacionais, assistência a crianças carentes, atividades para deficientes visuais e convivência social, por exemplo”, conta a artista arapiraquense.

italia3

A história contada nas paredes da Igreja do Divino Espírito Santo é a da criação do universo na perspectiva cristã e o seu trilhar até a ressurreição de Jesus há quase 2 mil anos.

Eliane trabalhou na parte interna da peça, especificamente na passagem que retrata o Êxodo, segundo livro da Torá e da Bíblia hebraica, contando o enredo da fuga dos israelitas da escravidão no Egito rumo à Terra Prometida.

Todo o azulejo e o material trabalhado provinha de doações feitas à instituição católica. “Fui, inclusive, a uma fábrica de esmalte italiano e trouxe para cá cerca de 4 kg de material. Fiquei encantada!”, revela.

Seguindo o roteiro de viagem ao lado do grupo de brasileiros, ela também participou da Bienal do Mosaico de Ravena, que é referência na área no mundo todo, e ainda conheceu a Scuola Mosaicisti Del Friuli, em Spilimbergo, ambos os locais também na Itália.

Eliane volta agora para Arapiraca com uma bagagem cheia de experiências e trocas conquistadas.

Compartilhar

Comentários