Reforma da Previdência

Servidores da Segurança Pública de AL sairão em caravana a Brasília contra a PEC 287

POR: 7 Segundos Arapiraca, Associação
Sem negociação, policiais civis podem parar na próxima sexta-feira,17
Assessoria / Sindpol

Policiais civis, agentes penitenciários e guardas municipais de Alagoas participarão em Brasília, do Dia Nacional da Luta pela Valorização do Profissional de Segurança Pública e contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016– da Reforma da Previdência. Uma caravana sairá do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), neste domingo (16), pela manhã, com destino à Capital Federal.

A grande manifestação, que está sendo organizada pela União dos Policiais do Brasil (UPB) e seccionais nos estados, como a de Alagoas, está marcada para a próxima terça-feira (18), às 13 horas em frente ao Congresso Nacional, em Brasília (DF).

Os operadores de segurança pública de todo o país lutam contra a PEC 287/2016 que retira o direito à aposentadoria especial das atividades de risco. Essa já é a segunda grande manifestação nacional realizada pelas entidades, que integram a UPB. A primeira contou com a presença de mais de dez mil operadores da Segurança Pública (policiais civis, policiais federais, guardas municipais, policiais rodoviários federais, agentes penitenciários, guardas de trânsito) de todo o Brasil.

O diretor de Comunicação do Sindpol-AL, Bartolomeu Rodrigues, que faz parte da UPB/AL, ressalta a importância da mobilização dos vários segmentos da segurança pública contra a reforma da Previdência que retira direitos históricos da categoria e dos trabalhadores. “A PEC 287/2016 exige idade mínima de aposentadoria aos 65 anos para homem e mulher; aumenta o tempo mínimo de contribuição de 15 anos para 25 anos e cobra 49 anos de contribuição para ter direito a integralidade. A pensão por morte passará a ser de 50% do benefício do contribuinte que faleceu”.

Fazem parte da União dos Policiais do Brasil: a Associação Brasileira de Criminalística – ABC, a Associação Brasileira dos Papiloscopistas Policiais Federais – ABRAPOL, a Associação das Polícias do Congresso Nacional – APCN, a Associação dos Agentes de Trânsito do Brasil – AGTBRASIL, a Associação Nacional das Mulheres Policiais do Brasil – AMPOL, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal – ADPF.

Com também a Associação Nacional dos Escrivães Polícia Federal – ANEPF, Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais – APCF, Associação Nacional dos Servidores da Polícia Federal – ANSEF, Central Única Nacional dos Policiais Federais – CENTRAPOL, Comissão Nacional dos Policiais Ferroviários Federais – CNPFF, Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis – COBRAPOL, Conferência Nacional das Guardas Municipais – CONGM.

E também o Conselho Nacional de Entidades Representativas de Servidores e Trabalhadores do Sistema Socioeducativo – CONASSE, Federação Brasileira dos Servidores Penitenciários – FEBRASP, Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal – FENADEPOL, Federação Nacional dos Peritos em Papiloscopia e Identificação – FENAPPI, Federação Nacional dos Policiais Federais – FENAPEF, Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FENAPRF.

Por fim, Federação Nacional dos Servidores Penitenciários – FENASPEN, Federação Nacional dos Sindicatos de Guardas Civis – FENAGUARDAS, Ordem dos Policiais do Brasil OPB, Sindicato dos Delegados de Polícia do DF – SINDEPO/DF, Sindicato dos Delegados de Polícia Federal no DF – SINDEPOL/DF, União Nacional dos Policiais Legislativos – UNIPOLBR, entre outras entidades.

 

Alagoas Brasília Maceió Manifestação pec 287 protesto Segurança Pública servidores

Veja Também

Comentários