Com desfecho épico, "Verdades Secretas" já é a novela do ano da Globo

POR: Redação, Na telinha
Reprodução

Chegou ao fim nesta sexta-feira (25) a novela “Verdades Secretas”, escrita por Walcyr Carrasco para a faixa das 23h da Globo.

Numa atmosfera cercada de expectativa durante todo o dia nas redes sociais e pelo público em geral, como há muito não se via em um último capítulo, “Verdades Secretas” prova, antes de tudo, que basta uma boa novela para que o público dê a resposta ligando o televisor.

Aliado a um texto denso repleto de toda uma carga dramática, o diretor Mauro Mendonça Filho e sua equipe aguçada conseguiram desempenhar sua função com maestria de maneira irrefutável, com cenas antológicas e que já entraram para a história da televisão brasileira.

Apesar do mistério acerca de “Verdades Secretas”, vários finais exibidos foram aqueles mesmos vazados há praticamente um mês e, para quem acompanha diariamente os sites especializados em televisão, não teve grandes surpresas com os desfechos propriamente ditos, mas certamente ficaram boquiabertos com atuações de tirar o fôlego.

Triângulo

O tão aguardado desfecho de Carolina (Drica Moraes) foi como se esperava. Walcyr se mostrou coerente e ela ter tirado a própria vida, ainda que muita gente tenha torcido o nariz, é perfeitamente compreensível. Afinal, descobrir que sua filha e o homem que amava tinham um caso, pegá-los na cama e ainda ver sua filha entrando na frente de Alex (Rodrigo Lombardi) para protegê-lo de um possível disparo, é de deixar qualquer um sem norte. De fato, não havia outra saída para a personagem.

Surpreendendo a muitos, as tragédias não pararam por aí. Como forma de vingar a morte da mãe, Angel (Camila Queiroz) teve o sangue frio de arquitetar o assassinato de Alex num iate em alto-mar e inventando uma história de que ele teria se acidentado. Numa sequência “embasbacante”, Camila Queiroz não parecia uma novata. Teve segurança, e uma atriz que no começo era uma promessa, já não é exagero dizer que se tornou realidade. Talento, como notamos, transbordou.

Embora ela seja uma das culpadas diretas pela morte da mãe, já que a traiu, terminou com um final feliz, casando com Gui (Gabriel Leone). É até, do ponto de vista moral, muito difícil de aceitar, de certa forma, um desfecho positivo para a personagem, mas nada que tire o telespectador do eixo a ponto de se indignar, já que outros tiveram finais coerentes e coesos com a construção da trama.

O que deve ser lamentado é que Carolina morreu sem saber de muita coisa: morreu acreditando que Fanny era uma “santa” e não soube que a filha fazia book rosa, frustrando a muitos telespectadores.

Comentários