Em Audiência Pública

ALE debate criação de polo biotecnológico e homenageia dr. Hemerson Casado

POR: Redação com Ascom AL
ALE debate criação de polo biotecnológico e homenageia dr. Hemerson Casado (Crédito: Ascom ALE)

A Assembleia Legislativa realizou, nesta sexta-feira, 18, uma audiência pública para debater o projeto de criação de um Polo Biotecnológico para pesquisa e tratamento de doenças raras em Alagoas, idealizado pelo médico Hemerson Casado, portador de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). O projeto, que já conta com o apoio da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), que cedeu um espaço, é de grande envergadura e, se concretizado, irá fomentar a economia do Estado. Para que seja viável, o projeto necessita de recursos para a elaboração de um plano de negócios. A audiência pública foi proposta pelo deputado Bruno Toledo (PSDB) e recebeu a aprovação unânime de todos os parlamentares que compõem o Parlamento alagoano.

"Alagoas tem a possibilidade de ser referência no campo do estudo científico sobre as doenças raras”, declarou Bruno Toledo. “Entidades internacionais já demonstraram interesse em se instalar em Alagoas, o que poderá gerar emprego e, principalmente, qualidade de vida aos portadores dessas doenças raras”, observou o parlamentar.

Durante a sessão, a jornalista Gilka Mafra leu um texto escrito por Hemerson Casado, já que o médico está impossibilitado de falar por conta do avança da doença. Ele destaca a iniciativa em conceber o projeto para a criação do polo biotecnológico para pesquisa e tratamento de doenças raras. “O polo representa uma mudança de paradigmas, pois, através dele, iremos passar um Estado que tem sua economia baseada na agricultura, pecuária, turismo e prestação de serviços, para transformá-lo num centro de referência de biotecnologia, um setor da economia que gera uma cadeia de desenvolvimento com um potencial enorme”, diz o médico.

De acordo com o consultor da Enzytec Consultoria em Biotecnologia, Marcio Lacerda, que representa a Associação Dr. Hemerson Casado Gama, o projeto para a construção do polo já está com toda parte de estratégia elaborada e será dividido em três fases: montagem de um centro de diagnóstico, centro de reabilitação focados em doenças raras e centro de pesquisas e incubadoras de empresas. “Temos um plano de negócios, onde já começamos a realizar um trabalho de captação de parceiros, de articulação com o governo e, com o município.

Acreditamos que dentro de três anos já teremos um centro em funcionamento, já atendendo à população de Alagoas”, informou Lacerda, acrescentando que num prazo de oitos anos o polo estará em pleno funcionando. “Colocando o Estado de Alagoas dentro do circuito da saúde, aquecendo o turismo e melhorando a qualidade de vida. É um projeto que tem uma dimensão muito grande”, completou o consultor.

O secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia, Jailson Andrade, que participou da audiência pública, contou que o ministério tem dado “extrema” atenção a bioeconomia e considerou que a iniciativa de construção do pólo biotecnológico é de grande relevância. Ele informou ainda que o pleito para aquisição de dispositivos de comunicação assistida do tipo TOB-2 para portadores de ELA, para o qual o Dr. Hemeson conseguiu, através de negociações internacionais, redução no preço do equipamento, foi aprovado pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação. “Ele levou esse pleito para o Ministério. Realizamos consultas jurídicas e avaliamos que o pleito se aplica ao programa de tecnologia assistiva do Ministério e nesse momento está se providenciando suas adequações”, informou Andrade.

De acordo com o secretário de Estado da Ciência e Tecnologia, Pablo Viana, a pasta tem acompanhado a Associação do Dr. Hemerson Casado e vem apoiando o projeto atuando como articulador, inclusive com o Ministério da Ciência e Tecnologia, e viabilizando audiências públicas no intuito de sensibilizar a sociedade para a causa. “Temos feito isso porque acreditamos que esse projeto pode reverter em diversos benefícios para o Estado. Em termos de desenvolvimento e apoio às pessoas que precisam de atenção nessa área”, declarou Viana.

Homenagem

Após os debates, o médico Hemerson Casado foi homenageado com a comenda Tavares Bastos, a mais alta honraria da Casa, proposta pelo deputado Bruno Toledo. “Fiz essa proposta para referendar tudo o que o Dr. Hemerson Casado tem feito por Alagoas. Um homem que porta uma doença rara, mas que pensa também em trazer uma melhor qualidade de vida para outras pessoa”, justifiou Toledo.
 

ALE criação ehomenageia dr. Hemerson Casado polo biotecnológico

Comentários