Transferência de presos de Palmeira pra Maceió dura mais de 24 horas

O atraso foi por conta de problemas no IML de Arapiraca

POR: G1
A transferência de presos da Delegacia Regional de Palmeira dos Índios para Maceió foi determinada pela Vara de Execuções Penais de Arapiraca. A operação durou 24 horas. Começou na terça-feira (15), mas só terminou no fim da manhã desta quarta (16).

De acordo com o coordenador da operação denominada "Asfixia" a demora foi por problemas no Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca. "Houve um problema na identificação dos presos. Dos 13 detentos, só três estavam com documentos e com teve problema no sistema de informática não podíamos sair sem essas identificações", afirma Gustavo Henrique Nascimento, Policial Civil.

Além dos problemas no sitema, o policial Gustavo Nascimento diz que ainda faltaram médicos peritos. "Isso atrapalha a operação. Estamos todos cansados aqui esperando e é uma grande responsablidade a transferência dos presos", desaba o policial.

A Associação dos Delegados de Polícia Civil diz que esta não é a primeira vez que a falta de médicos peritos prejudica as investigações.

A assessoria da Perícia Oficial do Estado informou que será aberto um processo disciplinar para investigar a ausência do médico legista em Arapiraca. Já a assessoria da Polícia Civil disse que a operação não poderia ser cancelada porque alguns presos estavam nas delegacias de Minador do Negrão e Cacimbinhas, que foram interditadas pela Justiça.


Comentários