Hoje é dia

Caso vença Dollaway, Lyoto não vê problema em ter brasileiro pela frente

POR: 7 Segundos, Combate
Lioto Machida
Marcos Ribolli

Lyoto Machida sabe que mesmo com a derrota para Chris Weidman em sua última luta, quando foi superado por decisão unânime, seu nome ainda está entre os principais do peso-médio. Neste sábado, quando enfrentará CB Dollaway no UFC: Machida x Dollaway, uma vitória vai lhe colocar de volta na trajetória rumo a uma nova disputa de cinturão na categoria até 84kg. Entretanto, alguns brasileiros estão no topo, como é o caso de Vitor Belfort, que é o próximo desafiante do campeão, e Ronaldo Jacaré, número 2 da divisão. Um eventual duelo contra eles não preocupa o Dragão, que afirmou que lutaria sem nenhum problema.

- Olho para isso com uma visão profissional, procuro tirar o lado emocional, da relação, e acredito muito que daqui a 10, 15 anos estaremos juntos, nos falando, talvez em busca de uma causa maior, de ajudar o próprio esporte, e o que passou fica no passado, aquela lembrança do cara que deu trabalho na luta. Não penso no lado da rivalidade pessoal e sim da rivalidade profissional - afirmou, acrescentando que só procura evitar ter Anderson Silva pela frente, já que treinam juntos algumas vezes na Black House.

- Nunca vou pedir para lutar contra ele. Se quando um não quer, dois não brigam, imagina quando os dois não querem. Aí que não acontece nada mesmo.

Ao comentar sua última luta, Lyoto ainda disse ter detectado um erro cometido no corte de peso antes de enfrentar Weidman, mas se vê com maior poder de nocaute entre os pesos-médios.

- Sinto que meu poder de nocaute aumentou no peso-médio, mas na luta com o Weidman tive um erro quando perdi o peso e fiquei um pouco magro na luta, o que fez uma diferença muito grande. Lutei com 87kg, e o Weidman deve ter lutado com cerca de 93kg. Cinco, seis quilos é muita coisa para uma luta de MMA - analisou.

Ex-campeão dos pesos-meio-pesados, o lutador acredita que na época essa era a categoria mais difícil do UFC, mas agora vê os médios como a mais movimentada e projeta ser campeão até 84kg futuramente.

- Muita gente que era da categoria de cima está tentando descer e a de cima era a mais concorrida justamente por ter caras fortes, rápidos e técnicos, diferente dos pesados, que a maioria não tem tanta técnica. Quanto mais leve, mais técnico é. No boxe, o peso-pesado é a categoria nobre do esporte. No MMA, o meio-pesado era a nobre, mas o peso-médio está ficando muito movimentado por lutadores bons e quero ser campeão da categoria mais movimentada - finalizou.

UFC: Machida x Dollaway

20 de dezembro de 2014, em Barueri (SP)

CARD PRINCIPAL

Peso-médio: Lyoto Machida x CB Dollaway
Peso-galo: Renan Barão x Mitch Gagnon
Peso-meio-pesado: Antônio Cara de Sapato x Patrick Cummins
Peso-leve: Elias Silvério x Rashid Magomedov
Peso-meio-médio: Erick Silva x Mike Rhodes
Peso-médio: Daniel Sarafian x Junior Alpha

CARD PRELIMINAR

Peso-meio-pesado: Marcos Pezão x Igor Pokrajac
Peso-pena: Renato Moicano x Tom Niinimaki
Peso-pena: Darren Elkins x Hacran Dias
Peso-galo: Leandro Issa x Ulka Sasaki
Peso-meio-médio: Marcio Lyoto x Tim Means
Peso-médio: Vitor Miranda x Jake Collier

Comentários