Claudemir Calixto

Comunicador, cronista, poeta e contista alagoano. Cofundador do coletivo artístico Projeto PAIOL. Graduando em Letras pela Universidade Federal de Alagoas. 

Entrevista

Opinião: Roda Viva com Sérgio Moro surpreende e Felipe Moura Brasil destoa dos demais jornalistas “convidados”.

Sérgio Moro não respondeu, exatamente, a maioria das perguntas e intervenções dos jornalistas participantes do programa

POR: Claudemir Calixto
Sergio Moro no roda Viva | 20/01/2020
Rede Brasil Atual

Nesta segunda (20), o Ministro Sérgio Moro foi o entrevistado do programa Roda Viva, da TV Cultura. O site The Intercept Brasil antecipou, na sexta-feira (17),  que o ex-juiz aprovou os nomes dos jornalistas que estiveram na bancada para entrevistá-lo. Por conta dessa informação os jornalistas convidados surpreenderam, com perguntas que deixaram o ex-juiz nitidamente desconfortável.

Os destaques para as perguntas mais pertinentes ficaram com Malu Gaspar, Repórter Especial da Revista Piauí, que questionou o então juiz sobre porque ele adiou um depoimento (do Lula) que podia ser usado politicamente pelo PT, mas divulgou um depoimento que ele  (Moro) sabia que podia prejudicar a campanha petista, 4 dias antes da eleição. Sérgio Moro disse que o episódio em relação ao Palocci é superdimensionado.

Charge: Paulo Caruzo | Roda viva

 

Leandro Colon, Diretor da Folha de São Paulo em Brasília, questionou a decisão do então juiz de vazar uma conversa da então presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, destacando a ilegalidade da ação do então juiz.

Do que conseguiu não responder, exatamente, a pergunta do jornalista que, basicamente, lhe questionava se vale a pena violar a lei para combater a corrupção, Sério Moro disse que “se dá uma importância a esse áudio que ela não existe”.

Já Vera Magalhães – que estreou como apresentadora da temporada 2020 do Roda Viva – entre outras perguntas e intervenções importantes, questionou o silêncio do Ministro diante do vídeo publicado pelo, agora, ex-secretário de cultura Roberto Alvim, e sobre o atentado sofrido em dezembro pela produtora Porta dos Fundos.

Vera sugeriu que o Ministro, diante de incidentes que ferem a ordem democrática do país, deveria, no mínimo, fazer nota pública de repúdio. Sérgio Moro se limitou a dizer que deu sua opinião ao presidente e descreveu o ocorrido como “um episódio bizarro e uma situação insustentável”.

Mesmo lembrado que a incitação ao nazismo é crime e que, como Ministro, ele deveria falar publicamente sobre o episódio, o ex-juiz disse que cabe ao presidente tomar as providências, e que ele não tem que opinar sobre tudo.

Charge: Paulo Caruzo | Roda Viva

 

Questionado sobre o cerceamento de Bolsonaro contra a liberdade de imprensa, Sérgio Moro disse que o presidente é favorável à liberdade de imprensa. Alan Gripp, Diretor de Redação de O Globo e Andreza Matais, Editora executiva do Jornal O Estado de São Paulo, também fizeram perguntas e intervenções importantes. Já Felipe Moura Brasil, Diretor de Jornalismo da Rádio Jovem Pan, destoou completamente dos demais.

Leandro Demori, do The Intercep Brasil, que acompanhou o programa ao vivo e comentou, juntamente com a equipe do TIB, durante o intervalo e após o término da entrevista, avaliou a participação do jornalista da Jovem Pan como um vexame.  Ele ainda acrescentou que foi um erro convidá-lo.  O programa entrou nos trending topics mundiais do Twitter.

 

Alan Gripp Andreza Matais CLAUDEMIR CALIXTO Folha de São Paulo Leandro colon Malu Gaspar O Globo Paulo Caruzo Revista Piauí Roda Viva Sérgio Moro Vera Magalães

Comentários