Alessandro Santos

Bacharel em Administração [CRA/AL:1-3229] pela Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL e pós-graduando no MBA em Gestão de Projetos - Faculdade Estácio FAL - desenvolve estudos na área de Recursos Humanos, com foco na orientação vocacional de jovens e adultos, treinamento e desenvolvimento de pessoas.

03 coisas que você precisa saber sobre felicidade no trabalho

Atualmente o debate sobre a felicidade no trabalho tem ganhado novos rumos, veja como a insatisfação em alta, a produtividade e a saúde interferem no seu trabalho.

POR: Alessandro Santos, Adm. Alessandro Santos
Rabisco sob papel.
Alessandro Santos

Não seria ótimo se você trabalhasse a vida inteira apenas em algo que ama? Hoje, o trabalho passa por mudanças muito rápidas. Começamos a trabalhar não para fazer o que nos dá prazer, mas para ganhar o dinheiro e a experiência que nos permitirá fazer o que realmente amamos.

Sobre fazer o que ama...

A seguir veja uma seleção das 03 coisas que você precisa saber sobre felicidade no trabalho.

#1 - INSATISFAÇÃO EM ALTA
Atualmente mais da metade das pessoas está insatisfeita com seu trabalho, é o que diz uma pesquisa feita pela ISMA Brasil (International Stress Management Association). A insatisfação com o emprego não é repentina, mas aos poucos vai se instalando, e só quando surge alguma crise ou problema é que as evidências aparecem e a infelicidade com o trabalho torna-se pública. O cenário de infelicidade em alta nas empresas, traz consigo outros problemas desde o absenteísmo (faltas no trabalho) até a depressão e doenças psicossomáticas.

#2 - PRODUTIVIDADE X HORA DE TRABALHO
É comum criar nas empresas a ideia de que trabalhar muito gera maior lucro para os negócios. De acordo com pesquisa da Business Roundtable, jornadas longas de trabalho tendem a diminuir a produtividade. O estudo constatou que pessoas que trabalham 60 horas por semana, ou 12 horas por dia, por cerca de sessenta dias, não apresentaram um aumento na produtividade em relação a quem trabalhou num modelo de 40 horas semanais, seguindo as oito horas diárias tradicionais. Quando os trabalhadores foram submetidos a uma semana de 80 horas de trabalho foi constatado o desenvolvimento inicial de burnout (doença caracterizada pelo esgotamento profissional) em menos de um mês.

#3 - QUALIDADE DE VIDA EM SEGUNDO PLANO
Em algum momento você deve ter pensado algo do tipo "Eu queria ter coragem ou dinheiro suficiente para viver a vida do jeito que eu quisesse, não a vida que os outros querem que eu viva, ou a vida que vivo hoje, mas uma vida mais feliz!" Esse foi destacado como o arrependimento mais comum entre as pessoas que serviram de base para o livro. “The Top Five Reagrets of the Dying” ( "Os cinco principais lamentos dos moribundos") Essa reflexão inspirou a enfermeira Bronnie Ware a escrever um livro baseado nas suas experiências, em que ela fala sobre os cinco maiores arrependimentos dos seres humanos. Quando somos jovens e saudáveis temos uma liberdade que poucos, nessa fase da vida, conseguem perceber até que não temos mais saúde. Portanto um trabalho feliz deve nos aproximar da nossa melhor versão.

Pense nisso, você é feliz com seu trabalho?

carreira emprego Negócios saúde trabalho

Comentários